10 segredos da excepcional campanha do Borussia Dortmund na Bundesliga

auba afiado16 pontos de 18 disputados, 19 gols marcados, um sofrido. Terceiro melhor ataque e defesa menos vazada entre as cinco principais ligas europeias. Liderança isolada da Bundesliga e um jogo envolvente. Ainda que tenha começado perdendo na Uefa Champions League, o Borussia Dortmund vem encantando em solo nacional, e vem de vitórias por 5 a 0, 3 a 0, e 6 a 1 diante de Colônia (casa), Hamburgo (fora) e Borussia Mönchengladbach (casa), respectivamente. Assim, buscamos os principais pontos que explicam tal fase do atual vencedor da Copa da Alemanha. Confira:

1- Aubameyang ainda goleador

Artilheiro da última edição do Campeonato Alemão com 31 gols, Pierre-Emerick Aubameyang chegou a oito tentos nesta Bundesliga ao fazer um hat-trick na vitória sobre o Borussia Mönchengladbach e deixou Robert Lewandowski, com sete gols, para trás. Por muitas vezes, ele parece menos participativo no estilo adotado pelo técnico Peter Bosz, mas é letal quando aparece, sobretudo com o jogo vertical adotado pelo Dortmund. Com 93 gols na Bundesliga, ele está a três de igualar Anthony Yeboah como maior goleador africano na liga. Além disso, no começo da temporada, ele passou Stephane Chapuisat que, com 123 bolas nas redes, era o maior artilheiro estrangeiro da história do Dortmund.

2 – Pulisic

O meia-atacante já fez a transição de promessa para realidade. Na avaliação da revista Kicker, ele possui a terceira melhor nota nesta edição da Bundesliga, na qual soma dois gols e uma assistência. O norte-americano também é o terceiro jogador com mais dribles certos na competição, com 15. Hoje titular absoluto, o atleta de 19 anos recém-completados, o norte-americano já soma quase 50 partidas na Bundesliga, o que evidencia certa experiência apesar da pouca idade.

3- Renascimento de Sahin

Depois de sofrer com lesões, ter passagens frustradas por Real Madrid e Liverpool e cair de nível, o melhor jogador da Bundesliga 2010-11, indica que está retornando ao bom futebol. Ele tem a quinta melhor nota da Kicker e mostrou-se uma peça importante em meio à lesão de Julian Weigl, que retornou apenas na semana passada. O volante de 29 anos é o nono jogador que mais tocou na bola no Alemão 2017-18 e é o 11º com mais passes completos. Neste começo de temporada, ele tem papel fundamental na transição da defesa para o ataque de um time bastante agressivo. O grande destaque veio na vitória sobre o Hertha Berlin por 2 a 0, partida em que deu uma assistência e fez um gol.

4- Solidez defensiva

O time auri-negro possui a melhor defesa entre as cinco principais ligas europeias (alemã, espanhola, francesa, inglesa e italiana), tendo sofrido somente um gol, sendo que este teve pouco impacto – saiu na vitória por 6 a 1 sobre o Borussia Mönchengladbach, quando o placar já estava em 5 a 0. A equipe ainda soma o terceiro melhor aproveitamento quando dá botes (74%), atrás apenas de Augsburg e Hoffenheim. Vale ressaltar que o time tem atuado sem dois titulares na defesa, Marc Bartra, que perdeu dois confrontos da Bundesliga por conta de uma lesão muscular, e Marcel Schmelzer, que sofreu um problema no tornozelo direito no único jogo que disputou e deve ser baixa por mais um mês.

5- ‘Estilo Bosz’

Para as equipes de Bosz, há sempre uma regra: a de recuperar a bola em até cinco segundos depois de perdê-la, caso contrário, o adversário consegue se armar e sua equipe fica mais vulnerável. Tal estilo de jogo sugere uma intensidade alta e uma posse de bola enorme, o que exatamente ocorre com o Dortmund atualmente. Entre as cinco principais ligas do continente, os auri-negros são a equipe que mais ficam com a bola: posse de 71,2%. Tal filosofia foi rapidamente absorvida pelo time, que é a que mais chuta na Bundesliga ao lado do Bayern Munique e é a que menos sofre finalizações do adversário junto com o Leverkusen. A mudança tática do 3-4-3 para o 4-3-3 também encaixou-se muito bem no estilo do técnico. O time é mais vertical e corre menos riscos.

EFE

Peter Bosz chegou ao Dortmund nesta temporada
Peter Bosz chegou ao Dortmund nesta temporada
6- Substitutos 
Maximilian Philipp e Andriy Yarmolenko deram ótimas impressões nas primeiras rodadas, desde que chegaram. Os dois têm atuado regularmente nos lugares de Marco Reus, que está lesionado e não volta neste ano, e Ousmane Dembélé, e mostraram-se muito bem adaptados. Philipp tem um estilo de jogo parecido com o de Reus, já soma quatro gols, uma assistência e tem grande contribuição, sendo o segundo atacante com mais desarmes na Bundesliga, atrás apenas de Leonardo Bittencourt. Já Andriy Yarmolenko destaca-se pela potente canhota, a habilidade para driblar e as arrancadas pelas pontas. Ele teve boas atuações nas duas partidas que fez como titular – vitórias sobre Colônia e Hamburgo – e soma uma assistência, além de ter feito um golaço contra o Tottenham, pela Uefa Champions League, em sua estreia como titular.
7- Bürki mais confiável

Titular desde 2015, o goleiro suíço nunca foi unanimidade, seja por algumas falhas ou por insegurança. Porém, em evolução, ele tem se mostrado muito confiável na Bundesliga – embora tenha tido uma atuação fraca na derrota para o Tottenham. No único gol sofrido no “Alemão”, não teve responsabilidade. E ainda fez defesas importantes em partidas como o empate com o Freiburg por 0 a 0 e a vitória sobre o Hertha Berlin por 2 a 0. Ao todo, são 14 defesas em 15 chutes no alvo, um aproveitamento de 93,3%, o melhor na competição.

8- Disciplina

O jogo intenso e a marcação-pressão não significam que por vezes o time auri-negro apele para faltas. O Dortmund é o terceiro que menos infrações cometeu: 66. Atrás apenas de Colônia (65), e Bayern Munique (61). Além disso, o líder levou apenas um amarelo em um total de seis jogos – para Sokratis, contra o Hertha. Bayern Munique, Freiburg e Wolfsburg aparecem na sequência, com sete amarelos cada.

9- Volta de Götze

Depois de conseguir voltar a jogar futebol e depois de perder quase todo o segundo turno da última Bundesliga quando um problema metabólico foi diagnosticado, Götze retornou para esta campanha. e retornou ocupando a titularidade e se destacando. Não à toa, é o 12º melhor atleta desta Bundesliga, segundo a Kicker. Ele tem uma assistência e criou dez chances e é o décimo melhor nesta estatística, mesmo tendo atuado apenas em quatro das seis rodadas.

EFE

Götze, em ação contra o Mönchengladbach
Götze, em ação contra o Mönchengladbach
10- Manutenção do elenco

O grande entrosamento apresentado pelo Borussia Dortmund, apesar de estar sob novo comando e com um estilo diferente em relação ao trabalho de Thomas Tuchel, se dá em boa parte graças à manutenção do elenco, sendo que dos titulares somente Ousmane Dembélé saiu. Quanto às demais saídas, quem mais jogava eram Matthias Ginter, que nunca vingou no clube, e Sven Bender, que sofreu com lesões e acabou perdendo espaço. Emre Mor até mostrou ser um jovem talento, mas pouco atuou. De resto, todos os outros nomes importantes foram mantidos e ganharam com o fortalecimento da defesa, com a chegada dos zagueiros Ömer Toprak, Dan-Axel Zagadou e Neven Subotic (voltou de empréstimo), e do lateral esquerdo Jeremy Toljan. O meio de campo ganhou Mahmoud Dahoud, e o ataque, que sofreu a grande baixa, tem duas novas peças de grande relevância: Philipp e Yarmolenko. Isso sem contar a chegada do meia-atacante Jadon Sancho, jovem de 17 anos do Manchester City e que era desejado por outros grandes clubes.

por espn.com.br / André Donke /  Revisão de Gerd Wenzel

Compartilhe

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *