Bayern Munique: Badstuber volta aos treinos após 15 meses

foto badstuberPela primeira vez na era Guardiola, o zagueiro Holger Badstuber (foto) voltou a treinar com a bola. Parece que está chegando ao fim o seu sofrimento. Para o jogador, foram os primeiros contatos com a bola desde dezembro de 2012. Naquela ocasião, na partida contra o Borussia Dortmund (1:1), o atleta teve que ser substituído aos 35 minutos de jogo. Diagnóstico: rompimento dos ligamentos cruzados, o pesadelo de todos os jogadores de futebol. E para Badstuber foi o começo do fim.

2013 foi o pior ano para o jovem talento bávaro. Enquanto seus colegas conquistavam a tríplice coroa, Badstuber trafegava entre hospitais e centros de reabilitação. Cinco meses depois da primeira contusão, veio a segunda: novo rompimento dos ligamentos. O zagueiro teve que ser operado nada mais nada menos do que em quatro oportunidades. Desistir da carreira, entretanto, jamais foi uma opção para o jovem de 23 anos.

Nos preparativos do Bayern para o segundo turno em Doha (Qatar), Badstuber começou a fazer seus primeiros leves exercícios físicos e no dia 9 de fevereiro voltou a pisar num gramado pela primeira vez, correndo durante 15 minutos ao lado do fisioterapeuta do Bayern, Thomas Wilhelmi. Na época chegou a afirmar que “….é um ótimo sentimento poder correr no gramado após sete meses de ausência.”

Quando começou a treinar com a bola nesta quinta-feira, os seus colegas de time o aplaudiram. Badstuber é muito bem visto pelos seus companheiros e também pela diretoria. Tanto é verdade que, apesar de contundido, o Bayern renovou seu contrato até junho de 2017. O diretor de esportes Matthias Sammer chegou a afirmar que “Badstuber tem o tempo que quiser para se recuperar.”

Por falar em tempo, daqui a pouco mais de três meses começa a Copa do Mundo no Brasil. Se Badstuber vai estar recuperado plenamente até lá, ninguém pode afirmar ao certo. Só que o zagueiro ainda não desistiu do seu sonho: “Se tudo correr positivamente e ao final da temporada participar de alguns jogos para ganhar ritmo, não vejo motivo agora para desistir da Copa do Mundo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *