Em reencontro com algozes do 7 a 1, Felipão sai ‘ileso’ contra o Bayern e ganha nos pênaltis

felipão e guardiola

Pouco depois de um ano do 7 a 1 da Alemanha sobre o Brasil na semifinal da Copa do Mundo, Luiz Felipe Scolari reencontrou alguns de seus algozes e, dessa vez, viu seu time fazer um jogo equilibrado. Em amistoso realizado nesta quinta-feira, o Gungzhou Evergrande, treinado por Felipão, ficou no empate sem gols com o Bayern de Munique no Tianhe Stadium, em Guangzhou (China), e ganhou nos pênaltis por 5 a 4.

Paulinho, Young-Gwon (com direito a uma cavadinha), Yu Hanchao, Zhao Xuri e Feng Xiaoting converteram todas as cobranças dos chineses. Xabi Alonso, Boateng, Douglas Costa e Thiago Alcántara marcaram para os germânicos, mas Müller, logo na primeira penalidade, parou na defesa do goleiro Zheng Cheng.

Antes do jogo, ainda houve o encontro entre o que foi e o que poderia ter sido o treinador da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2014. Luiz Felipe Scolari e Josep Guardiola (foto getty) cumprimentaram-se antes da partida.

Quanto ao 7 a 1, quatro alemães que estiveram em campo no fatídico jogo atuaram nesta quinta. Neuer e Boateng foram titulares, enquanto Lahm e Muller entraram na etapa final. Götze, que foi reserva e não jogou contra o Brasil, começou a partida contra os chineses.

Já do outro lado, além de Felipão, Paulinho também foi outro brasileiro do Mineirazo presente em campo. Titular do Guangzhou, ele havia entrado depois do intervalo contra a Alemanha. Paulinho foi um dos três brasileiros do time chinês no gramado: Robinho (que estreou pelo Guangzhou) e Ricardo Goulart também começaram o duelo.

Pelo bávaros, foram dois brasileiros em campo. Rafinha esteve entre os 11 iniciais, e Douglas Costa entrou na etapa final. Josep Guardiola mudou bastante a escalação quanto à vitória contra a Inter de Milão por 1 a 0 e escalou uma equipe mista.

Com a bola rolando, Felipão viu uma realidade distante do 7 a 1. Seu time levou um susto no começo (Hojbjerg cabeceou próximo da trave com poucos minutos), mas jogou de forma equilibrada e criou mais oportunidades do que os alemães em meio a um primeiro tempo agitado. Apesar do jogo agitado, nada de gols nos primeiros 45 minutos.

Na volta para a etapa final, as principais chances foram dos bávaros (Muller parou em duas boas intervenções do goleiro Zeng Cheng). Porém, a melhor delas foi dos chineses. Gao Lin aproveitou passe errado do adversário, ficou completamente livre e, frente a frente com Lucic, viu o goleiro fazer ótima defesa com o pé.

Apesar das ocasiões de gol, o placar não foi movimentado durante os 90 minutos. Porém, nas penalidades, houve a vingança tanto de Felipão quanto do Guanghzou. Afinal, no Mundial de Clubes de 2013, os alemães superaram os chineses na semifinal por 3 a 0.

por espn.com.br

Compartilhe

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *