França bicampeã! Vive la France!

A França é a mais nova bicampeã da Copa do Mundo!

Neste domingo, os Bleus venceram a Croácia por 4 a 2, no Estádio Luzhniki, em Moscou, em uma decisão que teve de tudo: muitos gols, nervos à flor da pele, emoção, presepadas dos goleiros, polêmicas de arbitragem e VAR decisivo.

Foi a final com mais gols desde 1966, quando a Inglaterra venceu a Alemanha pelo mesmo placar desde domingo – naquela ocasião, porém, a partida teve prorrogação.

Os franceses, agora, igualam Argentina e Uruguai como bicampeões mundiais.

A primeira etapa foi marcada por polêmicas de arbitragem de Nestor Pitana.

Primeiro, ele marcou falta muito controversa em cima de Griezmann, aos 18, na intermediária. O próprio “Diabo Loiro” levantou na área e Mandzukic marcou contra, abrindo o placar na capital russa – Pogba ainda estava impedido.

A Croácia foi guerreira e empatou com Perisic, mas os franceses voltaram a ficar na frente em outro lance polêmico envolvendo o próprio camisa 4 xadrez.

Aos 38, Matuidi cabeceou na área e a bola desviou na mão de Perisic. Em dúvida, Pitana consultou o VAR e, após alguns minutos, assinalou pênalti para a França. Griezmann converteu sem problemas.

Já no segundo tempo, foi a vez dos goleiros roubarem o show.

Visivelmente sem físico, o croata Subasic nem pulou em chutes de Pogba e Mbappé, e viu os Bleus construírem uma goleada no Luzhniki com duas finalizações teoricamente fáceis de serem defendidas.

Do outro lado, porém, Lloris também aprontou. Ao tentar sair jogando com os pés, ele chutou em cima de Mandzukic, que empurrou de canela para as redes.

Mas a Croácia não teve pernas para a reação, e o título ficou com a França, que conquista o mundo pela segunda vez, depois do troféu faturado em casa, em 1998. A conquista também minimiza a dor da derrota em casa na Eurocopa de 2016.

O JOGO

A Croácia começou a partida melhor que a França, tentando bolas em profundidade para Perisic, grande destaque da semifinal. No entanto, que marcou primeiro foi a França, aproveitando um erro do árbitro Nestor Pitana.

Aos 18 minutos, o argentino marcou falta inexistente em cima de Griezmann na intermediária. O próprio “Diabo Loiro” levantou na área e o atacante Mandzukic cabeceou contra a própria meta, tirando de Subasic e abrindo a conta no Luzhniki.

Foi o primeiro gol contra em finais da história das Copas.

O lance não desanimou os croatas, que seguiram em cima, tentando chegar por meio dos bons passes de Modric e Rakitic. A defesa dos Bleus, no entanto, ia se segurando.

Só que nem os zagueiros franceses e nem o goleiro Lloris conseguiram fazer nada aos 28 minutos, quando Perisic dominou bola na entrada da área, puxou para a perna esquerda e disparou um balaço cruzado para empatar o duelo em Moscou.

Aos 33, outro lance polêmico: após escanteio, Matuidi cabeceou e a bola desviou na mão de Perisic antes de sair pela linha de fundo. Em dúvida, Pitana acionou o VAR e conferiu o lance diversas vezes antes de decretar: pênalti para a França.

Na cobrança, Griezmann não bobeou: bola de um lado, goleiro do outro.

Na última boa chance da primeira etapa,a já nos acréscimos, o zagueiro Vida conseguiu desviar de cabeça um escateio na área, mas a bola passou triscando a trave de Lloris e saiu.

Na volta dos vestiários, a Croácia correu novamente atás do empate e quase conseguiu já aos 2 minutos, quando Rakitic enfiou para Rebic chegar fuzilando. Com uma excelente defesa, Lloris impediu e mandou para escanteio.

A resposta dos Bleus veio aos 6, em passe espetacular de Pogba para Mbappé. O camisa 10 francês invadiu a área e tentou rasteiro, mas Subasic se atirou na bola e fez grande defesa.

Só que o goleirão croata ficou vendido aos 14 minutos, quando Pogba aproveitou rebote de seu próprio chute e surpreendeu o arqueiro rival com uma patada de esquerda, que pegou Subasic no contrapé. 3 a 1 e fatura praticamente liquidada.

A partir daí, a porteira abriu. Apenas cinco minutos depois, Mbappé dominou na intermediária e chutou fraquinho, no canto, mas Subasic nem pulou na bola e viu a redonda morrer no fundo do barbante. Goleada em Moscou.

Só que a porteira abriu para os dois lados. Em um lance cômico aos 24, o goleiro Lloris foi querer sair jogando com os pés e chutou a bola em cima de Mandzukic, que deu de canela e mandou para as redes, diminuindo o prejuízo da Croácia.

No entanto, faltaram pernas para os croatas depois de três prorrogações seguidas nos mata-matas, e a França se sagrou campeã mundial pela segunda vez ao apito final.

FICHA TÉCNICA
FRANÇA 4 x 2 CROÁCIA

Local: Estádio Luzhniki, em Moscou (RUS)

Data: 15 de julho de 2018, domingo
Horário: 12h (de Brasília)
Público: 78.011
Árbitro: Nestor Pitana (ARG)
Assistentes: Hernán Maidana e Juan Pablo Belatti (ambos ARG)
VAR: Massimiliano Irrati (ITA), Carlos Astroza (CHI), Mauro Vigliano (ARG), Danny Makkelie (HOL)
Cartões amarelos: Kanté e Hernández (FRA); Vrsaljko (CRO)

GOLS
FRANÇA
: Mandzukic (contra), aos 18, e Griezmann (pênalti), aos 39 minutos do primeiro tempo; Pogba, aos 14, e Mbappé, aos 19 minutos do segundo tempo
CROÁCA: Perisic, aos 28 minutos do primeiro tempo; Mandzukic, aos 24 minutos do segundo tempo

FRANÇA: Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Hernández; Kanté (N’Zonzi), Pogba, Mbappé, Griezmann e Matuidi (Tolisso); Giroud (Fekir) Técnico: Didier Deschamps

CROÁCIA: Subasic; Vrsaljko, Lovren, Vida e Strinic (Pjaca); Rakitic, Brozovic, Rebic (Kramaric), Modric e Perisic; Mandzukic Técnico: Zlatko Dalic

por espn.com.br

Francisco de Laurentis e Antonio Strini

Compartilhe

    One thought on “França bicampeã! Vive la France!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *