Panelinha do Bayern na seleção alemã? Müller desmente

A seleção alemã já está em Sóchi, onde Oliver Bierhoff, Thomas Müller e Marco Reus falaram sobre a Suécia, escolha do local da concentração e uma possível panelinha do Bayern na seleção.

No próximo sábado, é tudo ou nada para a Alemanha contra a Suécia. E, como parte da preparação para o segundo jogo da Copa, a seleção alemã chegou em Sochi já nesta terça-feira.

Durante a coletiva de imprensa, Oliver Bierhoff, Thomas Müller e Marco Reus falaram sobre a reunião de emergência da terça-feira, a Suécia e uma possível panelinha do Bayern dentro da Mannschaft.

+ Mudanças no ataque

thomas müller pkMüller: Não importa quem entra em campo neste sábado. O importante é que cada jogador faça sua parte. Cada um tem uma missão a cumprir. A gente sabe que precisa definir melhor nossas funções. Isso não deu certo contra o México. Quando todos os jogadores do ataque também compreenderem seus papéis dentro da equipe, aí cada um deles vai poder fazer gol ou dar uma assistência.

+ Reus e o setor do campo em que gostaria de jogar

Reus: Isso não depende de mim. Eu me dedico bastante nos treinos. Claro que torço para ser titular e assim ajudar a seleção. Não importa em qual posição. Isso também depende do adversário.

+ Detalhes da escalação contra a Suécia +

Reus: Falamos sobre os objetivos nos treinos. No meu caso, o que acontece é que fiquei muito tempo contundido e recuperei lentamente o meu ritmo. Conversei bastante com o técnico, e ele determinou que eu vou começar no banco de reservas na próxima partida. Não vejo problemas quanto a isso.

+ Panelinhas  bávaras

Müller: Está confirmado de que há panelinhas do Bayern na seleção? Qual a fonte dessa informação? Não tem? Temos muitas mesas pequenas para comer, e não uma única mesa grande. Os jogadores que se conhecem há mais tempo se sentam juntos para comer. Mas eu sou bastante flexível nesses momentos e costumo ceder o meu lugar (risos). Também tenho ouvidos. Não há nada de mais nesses grupinhos que aparecem no time, como os que havia em 2012.

+ Bierhoff sobre conflitos na equipe

Bierhoff: Só posso desmentir que haja conflitos.. Começamos mal a Copa do Mundo e vamos procurar soluções para melhorar nosso desempenho. Não há conflito dentro da seleção. Claro que alguns jogadores se dão melhor com uns do que com outros. Mas não vejo problemas nisso.

+ Seleção da Suécia

bierhoff pkBierhoff: Vimos o jogo deles contra a Itália, quando foram muito bem. A defesa é o seu ponto forte. Os suecos vão fazer de tudo para complicar nossa vida. Vai ser uma partida difícil, e temos que vencer. A Suécia talvez venha com uma formação diferente. Eles podem vir com cartas na manga. Mas, com todo respeito à seleção sueca, temos que impor o nosso estilo. Por isso que não importa muito como o adversário joga. Não vai ser uma guerra, e sim uma partida bem difícil. É isso que temos que aprender em uma competição como essa. É preciso ter paciência.”

+ Críticas sobre o local da concentração

Bierhoff: Estou tranqüilo em relação a isso. Passei por isso no Campo Bahia  quando houve críticas de que havíamos feito tudo errado. Esta é o meu 9º torneio. Tenho experiência e entendo do riscado. Por exemplo, em Sotschi não há um único Centro de Treinamento padrão FIFA. Então mesmo se a gente escolhesse Sotschi como nosso quartel general, não poderíamos treinar aqui.

De sport1.de

Tradução: Rodrigo Wenzel

https://br.linkedin.com/in/rodrigowenzel

 

Compartilhe

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *