Rebaixamento do Hamburgo para a 2ª divisão é marcado por revolta da torcida, lágrimas de tristeza e reclamação de Uwe Seeler.

tumult hamburg3

 

Hamburger SV v Borussia Moenchengladbach - BundesligaO relógio no estádio do Hamburgo parou na marca dos 54 anos, 261 dias, 0 hora e 36 minutos. Agora, jogadores, diretoria e torcida do clube do norte derramam amargas lágrimas de tristeza.

Apesar da vitória por 2 a 1 sobre o Borussia Mönchengladbach pela última rodada da temporada, o “Dinossauro” não conseguiu impedir a queda pra 2ª divisão. Segundos antes do apito final, o clima esquentou no estádio.

Nos acréscimos, a torcida atrás do gol lançou fogos de artifício e bombas de fumaça em campo. A tribuna sul ficou tomada pela fumaça escura. O árbitro Felix Brych interrompeu a partida.

Bundesliga - Hamburger SV v Borussia MoenchengladbachA polícia marcou presença forte no gramado para conter os ânimos formando três fileiras compactas de aproximadamente 150 homens visando demonstrar a sua determinação de manter a ordem. (foto acima). Não precisou agir com violência. Apenas mostrou claramente através da sua postura em campo que estava disposta a conter o tumulto. E foi exatamente o que aconteceu dentro do estádio.Tumulto contido, segue o jogo.

Dez minutos depois, o árbitro Felix Brych reiniciou a partida e assim impediu o cancelamento do confronto. Desta forma foi encerrada a sequência de 1866 partidas consecutivos do Hamburgo na Bundesliga.

Sakai quer ficar

Apesar do rebaixamento, o capitão Gotoku Sakai gostaria de continuar no clube. “Decidi que gostaria de renovar meu contrato com o Hamburgo e jogar na 2ª divisão”, disse o jogador da seleção japonesa ao jornal Hamburguer Morgenpost.

Seeler: “…vamos em frente.”

Uwe Seeler, ícone do clube, disse na zona mista: “Não adiante chorar. Só nos resta reconstruir.” E acrescentou com um sorriso: “ Vou no Centro de Treinamento amanhã”.

“Eu gostaria que o time se preparasse de forma intensiva para a 2ª divisão, que vai ser bem difícil. Nunca pensei que ia ver o Hamburgo cair um dia para a “segundona”. Agora espero estar vivo para ver a equipe novamente na Bundesliga”, disse o ex-jogador, hoje com 81 anos de idade.

Para Seeler, o técnico Christian Tietz chegou muito tarde. “Sim, ele chegou tarde. Tietz trabalhou bem com o time. Tivemos muitos técnicos, o que não foi nada bom”.

“Acho que não é só culpa da equipe. A diretoria também é responsável, pois gastou muito dinheiro em jogadores de qualidade questionável. Ficou claro que o time não é tão talentoso como esperado, apesar de ter jogado bem hoje. Os dirigentes precisam assumir as suas responsabilidades.”

E Seeler finaliza: “Eu já sabia que ia ser difícil, ainda mais porque o Hamburgo não dependia só de si. Nos últimos anos, fizemos alguns milagres. Mas milagres não acontecem o tempo inteiro.”

De www.sport1.de

Tradução Rodrigo Wenzel

https://br.linkedin.com/in/rodrigowenzel

Revisão Gerd Wenzel

 

Compartilhe

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *