Saiba quem é Timo Werner, nova esperança de gols da seleção campeã mundial.

timo werner lutadorPassagem nas seleções de base da Alemanha, prêmios individuais e muita expectativa, que viria a ser, definitivamente, correspondida na última temporada. Timo Werner deixou o rótulo de promessa e não apenas confirmou-se como uma realidade, mas também se tornou um potencial titular da Alemanha na próxima Copa do Mundo.

Revelado pelo Stuttgart, time de sua cidade natal, o atacante estreou pela seleção alemã, ainda no sub-15, com três gols no mesmo jogo; marcou também em suas estreias nos sub-16 e sub-19. Já pela sua equipe de então, o Stuttgart, tornou-se o mais jovem a ter defendido o clube em um jogo oficial. Em 1º de agosto de 2013, com 17 anos, quatro meses e 25 dias, ele foi titular no empate com o PFC Botev Plovdiv por 1 a 1, pela terceira fase preliminar da Liga Europa.

Além disso, Werner também destacou-se em prêmios individuais. Ele recebeu duas medalhas Fritz Walter – de ouro na categoria sub-17 (2013) e a de prata na categoria sub-19 (2015) -, premiação que é concedida anualmente aos jovens jogadores alemães mais talentosos.

Infelizmente porém, ele viu sua ascensão ser ofuscada pela má fase do Stuttgart, que acabaria rebaixado à segunda divisão alemã. “Em Stuttgart, eu tinha perdido parte de minha autoconfiança, já que nem sempre as coisas foram simples para todo o time”, contou Werner em entrevista por email ao ESPN.com.br.

Depois de tamanho golpe, veio a chance de se reerguer, só que em outro lugar, longe da cidade natal e do clube que o revelou. O projeto ambicioso do RB Leipzig apostou no talento do jovem atleta e pagou 10 milhões de euros por ele em meados de 2016. Aposta certeira.

Werner foi o quarto principal artilheiro da última Bundesliga, com 21 gols, sendo um dos principais nomes para que o time estreante na primeira divisão alemã fosse vice-campeão. O grande futebol apresentado fez o atacante ganhar suas primeiras chances na seleção alemã principal, pela qual foi o goleador e campeão da Copa das Confederações deste ano.

“Eu fui um crítico muito grande dele dentro do clube (Stuttgart), porque tinha um potencial excelente, mas só agora, depois dessa transferência mostrou seu talento. Novos ares, uma pressão e cobrança que o levaram a dar um passo a mais na carreira. Talvez, por ter crescido dentro do Stuttgart não fez jus à chance que teve no clube e isto apesar de ter feito gols e algumas ótimas partidas. Acompanhando ele nos treinos e nos jogos, vi que faltava aquela gana que é essencial para um jogador que quer vencer na vida”, afirmou o ex-atacante Cacau, que defendeu o Stuttgart entre 2003 e 2014, ao ESPN.com.br, em entrevista publicada em abril de 2017. “É um menino que tem muito talento, ótima finalização e é muito rápido”.

Hoje avaliado em 25 milhões de Euros (R$ 93,36 milhões na cotação atual) pelo site Transfermarkt, o atleta de 21 anos indicou no começo da temporada que o desempenho na última não foi por acaso e já marcou três gols em três partidas pelo RB Leipzig em 2017-18, com destaque para os dois tentos na vitória sobre o Freiburg por 4 a 1. Pela seleção alemã, foi titular na vitória contra a República Tcheca por 2 a 1 e, inclusive, abriu o placar da partida.

timo werner seleçãoAgora, ele pode dar mais uma grande contribuição à seleção tetracampeã do mundo nesta segunda-feira, quando os alemães recebem a Noruega em Stuttgart pela oitava rodada do grupo C da eliminatória europeia da Copa do Mundo de 2018.  Líder com 21 pontos, o time comandado por Joachim Löw irá confirmar classificação ao Mundial com duas jornadas de antecedência caso vença sua partida e a Irlanda do Norte não ganhe da República Tcheca, em casa.

Confira na íntegra a entrevista com Timo Werner:

ESPN.com.br: Quando se olha a temporada passada, você acha que o time pode repetir o desempenho ou até mesmo superá-la?

Timo Werner: O que fizemos na última temporada foi excepcional. Se nós podemos fazer um trabalho tão bom novamente, eu não posso dizer, uma vez que temos outra competição com a Champions League, o que vai demandar tudo de nós. Será uma pequena aventura para nós, como um time muito novo, lidaremos com este desafio. Mas eu estou bem otimista que nós, com nosso espírito coletivo e também com nosso desprendimento, possamos ser bem-sucedidos nesta temporada. Como isso vai acabar, nós veremos. Agora, estamos ansiosos quanto ao que vem pela frente.

ESPN.com.br: Você sempre foi apontado como um grande talento, mas na última temporada  alcançou um novo e alto nível. A que você atribui essa explosão em seu desempenho?

Timo Werner: Em Stuttgart, eu tinha perdido parte de minha autoconfiança, já que nem sempre as coisas foram simples para todo o time. E eu devo dizer que o futebol que é jogado pelo RB Leipzig se encaixa muito bem comigo. Aqui eu posso introduzir meus pontos fortes, como a agilidade.  Sair de Stuttgart, minha terra natal, para Leipzig foi também muito bom para mim pessoalmente.  Tive que aprender a ficar longe de casa, ser autossuficiente e, desse modo, continuar amadurecendo. Além disso, as condições aqui no clube são sensacionais. Todos os detalhes são pensados e nada fica ao acaso. No fim, cheguei a minha nova performance, porque nós, como time, funcionamos muito bem e conduzimos uns aos outros a performances de alto nível.

ESPN.com.br: Quando você olha para o começo de sua carreira, em quais pontos você acha que mais se desenvolveu? E quem foi a pessoa que mais te ajudou?

Timo Werner: Eu me tornei mais confiante. Isso vem naturalmente com a experiência. Além disso, eu também aprendi aqui no RB Leipzig que neste nível pequenas coisas são decisivas. Nisso eu tento trabalhar em cada treino, se é no momento da conclusão ou o timing certo na recuperação da bola. Meu pai e minha família sempre me apoiaram incondicionalmente em meu caminho e me motivaram nas fases difíceis.  Mas também meu empresário Karl-Heinz Förster é um fator importante. Com sua imensa experiência ele sempre sabe dar uma boa dica.

ESPN.com.br: A Alemanha é a principal favorita ao título da Copa do Mundo?

Timo Werner: Não há apenas uma favorita. Certamente, nós mostramos em um passado recente  o que somos capazes de conseguir. Mas há tantas outras fortes seleções, assim seria presunção dizer que seríamos os favoritos. No futebol tudo pode acontecer e se pode perder jogos nos quais você estava melhor que o adversário.  Nós adquirimos muita autoconfiança também por conta da conquista da Copa das Confederações, mas seria imprudente se relaxássemos por conta disso.

por espn.com.br  / Texto e Entrevista: André Donke / Revisão: Gerd Wenzel

Compartilhe

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *