“Tudo como dantes no quartel de Abrantes”: Joachim Löw fica.

löw ficaSeis dias após a eliminação da Alemanha da Copa do Mundo já na fase de grupos, a Federação Alemã de Futebol informou nesta terça-feira que o técnico Joachim Löw deverá ficar no comando técnico da Mannschaft apesar do vexame histórico que resultou numa derrocada jamais vista da equipe alemã.

Praticamente no mesmo dia do desastre a cartolagem da Federação deu todo apoio a Löw, garantindo-lhe por antecipação a sua permanência no cargo até 2022. O técnico, por sua vez, pediu alguns dias para pensar melhor e, após dias de reflexão, chegou à conclusão de que ele mesmo é o homem mais indicado para “reconstruir” a seleção: “Estou muito decepcionado, mas quero me empenhar a fundo para implantar o projeto de reconstruir a Mannschaft”.

A imprensa alemã foi muito crítica em relação ao trabalho de Löw nestes últimos meses. Especialmente a sua teimosia em manter veteranos no time titular apesar de não estarem em sua melhor forma técnica e física, a degradação de Marc-André ter Stegen que não teve a menor chance de disputar com Manuel Neuer, que não atuava em jogos oficiais há 259 dias, a condição de titular e, “last not least” a dispensa de Leroy Sané.

Sem contar que os sinais de uma queda brutal de rendimento da Alemanha nos jogos amistosos que disputou logo depois das eliminatórias para a Copa do Mundo, parece que não foram levados em consideração pela comissão técnica. Afinal, para Löw e Cia., amistoso é apenas um amistoso.

Na última enquete patrocinada pelo portal kicker junto à torcida alemã, 74% se manifestaram contra a permanência de Löw e apenas 24% a favor.

O descontentamento reinante pode se alastrar ainda mais se  a Alemanha fracassar na Liga das Nações. O seu primeiro compromisso neste torneio será contra a França, daqui a dois meses no dia 6 de setembro na casa do Bayern, em Munique na Allianz Arena. Três dias depois disputa um jogo amistoso com o Peru.

O manager da seleção, Oliver Bierhoff, ainda fez uma declaração oficial sobre a permanência de Löw: “Após 14 anos de um trabalho bem feito, a missão agora é implementar uma reconstrução e vamos pensar de forma concreta como mudar as coisas de forma estrutural”.

Bierhoff confirmou mais uma vez sua fama de falastrão: diz coisas que, ao fim e ao cabo, não significam absolutamente nada. Ou seja: não falou coisa com coisa.

Se a tal da reconstrução, termo utilizado à exaustão nos últimos dias, se restringir à elaboração de frases de efeito duvidoso, corre-se o risco de reconstruir um castelo de areia que sucumbirá ao primeiro vendaval.

Gerd Wenzel

 

 

 

 

 

 

Compartilhe

    One thought on ““Tudo como dantes no quartel de Abrantes”: Joachim Löw fica.

    1. Excelente texto, Gerd Wenzel. Eu penso que a manutenção de Low no cargo, além dos problemas já citados por você, se deu muito mais porque não havia nenhum outro profissional disposto a substituí-lo e seguir o plano traçado pela DFB. A eliminação da Mannschaft na primeira fase da Copa, ao contrário do que muita gente acredita, não foi um simples tropeço e expôs o fato de que Low perdeu o comando do time por não saber resolver os problemas que foram apontados. Já que ele continua no cargo, ao menos, para a disputa da UEFA Nations League, é bom que comece a repensar seus critérios para as próximas convocações e que, acima de tudo, comece a dar mais chances concretas para os jogadores das seleções de base. Para o bem de todos, é bom que a Alemanha não fracasse na Nations League. Se isso acontecer, as cobranças serão ainda maiores e a DFB não terá mais argumentos para defender a continuidade de Joachim Low. O tempo dirá…

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *