Um trauma chamado Alemanha: o Brasil não consegue esquecer o 7 a 1

Já faz quase quatro anos que o Brasil perdeu da Alemanha na semifinal da Copa do Mundo de 2014, mas os brasileiros ainda estão longe de se recuperar do trauma. Toda vez que surge a palavra “Alemanha”, no consciente coletivo do Brasil imediatamente surge o “sete a um”.

Cafu, campeão mundial de 1994 e 2002, não tem dúvidas: “Não vamos esquecer. Toda vez que jogarmos contra a Alemanha, o 7 a 1 virá à tona.”

Gustavo Hofmann, da ESPN Brasil, esteve em Belo Horizonte naquela data fatídica e agora acompanha a seleção brasileira em Berlim. Ao site SPORT1 ele declarou:

“Os jogadores das duas equipes vão tentar não pensar naquele jogo em Belo Horizonte, mas os jogadores brasileiros estão sob muita pressão, especialmente por parte da torcida e da mídia.”

O técnico Joachim Löw concorda: “A motivação dos jogadores brasileiros para fazer esquecer o 7 a 1 será imensa. Eles encaram esta partida como revanche e pensam que poderão se reabilitar daquela derrota.”

Do ponto de vista futebolístico, a seleção brasileira evoluiu muito desde 2014 e é novamente uma das grandes favoritas ao título.

“O time é muito melhor do que aquele de 2014, mesmo porque finalmente temos um técnico de verdade”, afirma Hofmann e acrescenta: “Scolari foi campeão mundial em 2002, mas seu trabalho em 2014 já era obsoleto. Ele já estava ultrapassado. Tite, ao contrário, é um técnico moderno. O time está muito bem organizado e taticamente bem estruturado. Além disso, a equipe se defende bem e, mesmo sem Neymar, apresenta bons resultados.”

Mas, seja como for, o 7 a 1 não sai da cabeça dos brasileiros. Mesmo uma vitória hoje em Berlim, não vai apagar o desastre de Belo Horizonte. Para muitos, nem a conquista do “Hexa” fará com que aquela derrota seja esquecida.

 Cafu explica: “Os brasileiros até hoje não esquecem a derrota para o Uruguai em pleno Maracanã em 1950 e também não esquecerão o 7 a 1 do Mineirão.”

E Gustavo Hoffman conclui: “Aquela semifinal fez sangrar o coração dos brasileiros. É por isso que as expressões ‘Gol da Alemanha” ou “sete a um” já fazem parte do nosso cotidiano toda vez que nos deparamos com algo muito errado. Mas uma coisa podemos afirmar com certeza: esta cicatriz ficará para sempre.”

Compartilhe

    2 thoughts on “Um trauma chamado Alemanha: o Brasil não consegue esquecer o 7 a 1

    1. Quando é que alguns irão entender que aquele jogo do qual a Mannschaft venceu por 7×1 foi vendido assim como a copa de 2014. Ou querem cobrir o sol com a peneira ou não querem enxergar, a exemplo de 2014 vou torcer pela Mannschaft em 2018. A seleção brasileira entra em campo com muito estrelismo e quer apenas fazer espetáculo. Já os comandado pelo Herr Joaquim Löw (reservas ) perderam por 1×0, o que não significou em nada. O Brasil precisa acordar e a seleção também. Falam tanto do Neymar. O ilustre simulou a contusão contra a Colômbia, a exemplo da copa foi uma farsa. A Alemanha teve apenas 10 técnicos em sua história e o Herr Löw está a 12 anos. O Brasil, teve 50 ou mais técnicos.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *