Wolfsburg: salvo pelo gongo, mas foi o último aviso

O Wolfsburg conseguiu se salvar na última hora. Pela 2ª temporada consecutiva, o clube se mantém na Bundesliga após disputar a repescagem. Os responsáveis por essa situação têm motivos para se sentirem aliviados, mas precisam compreender que do jeito que está não pode continuar.

Comentário de Thomas Hiete, redator da revista kicker.

lobosApós o quase rebaixamento na temporada 2016/17, eles disseram que aprenderam com seus erros. Os responsáveis do Wolfsburg abusaram das frases de efeito, evitaram falar sobre o questionável potencial da equipe e ignoraram os sinais de alerta, evidentes desde a 1ª rodada da campanha 2017/18, quando os “lobos” perderam por 3 a 0 em casa para o Borussia Dortmund.  Apesar de pertencer à 1ª divisão do futebol alemão desde 1997, está claro que o Wolfsburg flerta há um bom tempo com a 2ª divisão. O motivo? O caos provocado por uma administração amadora. O rebaixamento seria uma conseqüência lógica, porém o êxito na repescagem agora deve ser encarado como o último aviso.

Todos têm sua dose de responsabilidade. O Conselho Administrativo, que aprovava tudo, questionava pouco e tomava decisões completamente equivocadas. A Diretoria, formada por apenas duas pessoas e consequentemente ficava sobrecarregada e agia sem nenhum plano. O Diretor de Esportes Olaf Rebbe foi um desastre: não aceitava conselhos, tinha pouca experiência e agiu mal no planejamento do elenco. Os técnicos Andries Jonker, Martin Schmidt e o limitado Bruno Labbadia não conseguiram deixar os “lobos” competitivos, pelo contrário: era um time que não faz jus a esse termo.  Uma total ausência de espírito de equipe, uma característica que também vale para a diretoria.

Intrigas, desavenças e conflitos: assim tem sido o Wolfsburg nos últimos dois anos. A desnecessária perda do zagueirão Naldo, um dos poucos que se identificava com o clube, talvez tenha sido o maior erro. A ida do brasileiro para o Schalke 04 dois anos atrás provavelmente marcou o início da derrocada do Wolfsburg. E acelerou o fim da gestão Klaus Allofs, marcada por tantos acertos nos anos anteriores. E por último, o clube se perdeu na ideia de tomar um novo caminho com o jovem Diretor Rebbe.

Mesmo quando estava claro que nada funcionava, ninguém tomou uma atitude. Empurraram com a barriga, e não lidaram com a situação de frente.  Transformar o Wolfsburg novamente em uma equipe é o desafio do novo diretor de esportes Jörg Schmadtke.  E ele possui uma vantagem, pois já demonstrou que tem condições de fazer isso. E mais: as expectativas no Wolfsburg são baixas. Todos os integrantes do clube só querem ver o time passar uma temporada sem preocupações e mostrar dedicação em campo. E preferem que isso aconteça quando não for tarde demais.

Comentário de Thomas Hiete, redator da revista kicker.

Tradução: Rodrigo Wenzel

https://br.linkedin.com/in/rodrigowenzel

 

Compartilhe

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *